Nomenclatura de Jobs de Backup

Uma das coisas que nós temos em todo o projeto de backup que implementamos são as jobs de backup.

Jobs de backup nada mais são que a tarefa de backup que nós configuramos dentro do Veeam Backup & Replication. É na job de backup que nós temos todas as funções referente a carga de trabalho que garante o backup dos nossos servidores.

Aqui você pode ver um exemplo como criar uma job de backup dentro do Veeam baseada em máquinas virtuais VMware vSphere.

Sendo assim, logo depois de nós instalarmos o Veeam e fazermos o deploy de todos os componentes da nossa infraestrutura de backup. Normalmente a primeira coisa que nós configuramos são as jobs de backup.

Foi pensando nisso que eu achei interessante abordar a nomenclatura das jobs de backup que eu costumo utilizar em meus projetos de proteção de dados. Em um primeiro momento esse tema pode parecer meio tolo, porém é com base nesses nomes que é possível identificar o tipo de backup e onde ele vai ser salvo.

Com 1 ou 2 jobs de backups isso pode parecer bobagem, porém quando se tem 10, 20, 30 jobs de backup dentro de um único Veeam Backup & Replication os nomes dados para cada uma delas acabam ajudando na identificação ou até mesmo nos filtros que podemos criar posteriormente

B2D – Backup to Disk

Jobs de backup que os dados são salvos em qualquer tipo de repositório em disco.

B2T – Backup to Tape

Jobs de backup onde os dados são enviados para fitas de backup.

B2C – Backup to Cloud

Jobs de backup onde os dados são enviados para a nuvem. Na versão 11 do Veeam backup and replication nós precisamos de um repositório do tipo SOBR (Scale Out Backup Repository) para conseguir enviar os dados para as cloud públicas como a AWS, Azure e GCP. Porém é possível ter um repositório específico que é o Veeam Cloud Connect para fazer esse tipo de envio.

BC – Backup Copy

Jobs de cópia de backup que nós utilizamos para criar uma ou mais cópias do backup que já foi feito anteriormente.

LTR – Longe Term Retention

Também é um tipo de job de cópia de backup, entretanto com a finalidade de ter uma longa retenção. Normalmente utilizamos esse tipo de nome para diferenciar os backups que são enviados para repositórios com a finalidade de arquivamento como é o caso do Data Domain e do StoreOnce por exemplo.

Esses sãos os principais nomes que eu utilizo nas implementações do Veeam, entretanto esses foram apenas alguns insights. Você deve levar em conta não só a necessidade da empresa, mas também a política de backup.

Outros tipos de cenários bem comum é agrupar e separar as jobs de backup baseado nas aplicações dos servidores, criticidade do negócio, horário de execução, etc.

Você utiliza algum outro nome para identificar as suas jobs de backup?

Me conta aqui nos comentários!

Mateus Wolff

Meu nome é Mateus Wolff e trabalho com TI desde 2009. Sou arquiteto de soluções de proteção de dados e tenho algumas certificações VMCE, VCP-DCV e ITIL. Participo dos programas VMware vExpert e Veeam Legends. Também sou líder nos grupos VMUG e VUG.

Você pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *